• Por Hellen e Monique

Alinhamento dos Ombros


Manter os ombros alinhados não é tarefa fácil. Não é à toa que Joseph só introduzia exercícios de fortalecimento de membros superiores a partir de suas séries intermediárias. Primeiro ele buscava com os seus praticantes de nível básico um maior controle do Centro de Força, uma conscientização do alinhamento corporal e um fortalecimento da musculatura da escápula para então, depois de tudo isso conquistado, desafiar os membros superiores sem que esses movimentos abalem a estabilidade do corpo.

Quando existe o apoio sobre as mãos, como na flexão de braço ou Leg Pull, o peso do corpo jamais deve afundar sobre os ombros. Em movimentos de enrolar a coluna, há forte tendência deles também enrolarem já que é bem mais fácil enrolá-los do que fazer a curva “C”. Nos exercícios de braços, se deixarmos, os ombros acabam fazendo todo o esforço. Nos abdominais, são eles que querem subir mais do que o tronco.

Alguns comandos são úteis para ajudar o pilateiro, desde o simples e eficiente “mantenha os ombros longe das orelhas”, até “rode as axilas para o chão” ou “pense em guardar as escápulas nos bolsos de trás da calça”.

Uma dúvida que eventualmente surge entre alunos e até instrutores é sobre o posicionamento dos braços em repouso enquanto o praticante está em decúbito dorsal, executando uma Ponte ou um Footwork por exemplo. Alguns referem que sentem os ombros com uma postura melhor com os antebraços supinados, pois nesta posição há um favorecimento à abertura do peito e encaixe das escápulas. De fato isso acontece, porém o que buscamos no Pilates é fortalecer os músculos responsáveis pela postura correta e não alcançá-la momentaneamente e passivamente. Ao manter o antebraço pronado, empurrar ativamente os ombros para baixo e para trás, fazer uma pressão do tríceps contra o apoio e pensar em escorregar as mãos para longe, estamos fortalecendo os estabilizadores escapulares e alongando os músculos que provocam tensão, como as fibras superiores do trapézio, o elevador da escápula e os peitorais.

É importante conectar o corpo todo durante a prática, isto é, manter os membros superiores alinhados e ativos mesmo quando o foco do exercício são os membros inferiores ou o abdômen e também manter ambos os lados trabalhando mesmo quando o movimento é unilateral.

Os problemas nos ombros e pescoço estão intimamente ligados, portanto o instrutor deve ser criterioso ao montar as aulas dos alunos que tenham restrições em uma ou outra região.

Construa um relacionamento saudável com o seu ombro, tenha um ombro amigo e não um ombro inimigo ou rebelde nem muito menos hiperativo. Pilates tem os melhores conselhos para manter essa amizade.

Workshops Espaço Fluir

Clique na imagem para saber mais

O que você procura?

DÚVIDAS E SUGESTÕES, AQUI É O LUGAR!

UM BLOG POR ESPAÇO FLUIR

© 2014 POR ESPAÇO FLUIR.