Salto Alto

24.06.2014

O uso excessivo do salto alto pode encurtar músculos e tendões, afetar pés, joelhos e coluna.

 

Nossos pés são estruturas complexas, de suporte, e possuem 26 ossos, 33 articulações e 114 ligamentos para cumprir seu papel de sustentar e locomover todo o corpo.

 

Quando estamos descalços nosso peso é distribuído por toda essa estrutura, mas se usamos saltos, ele é deslocado para a ponta do pé, o chamado antepé, e quanto mais alto, maior o peso na região. Com o movimento da marcha, a pressão aumenta ainda mais e pode levar a deformidades como joanetes. Já na parte de trás, a manutenção dos calcanhares elevados acarreta a falta de mobilidade e encurtamento da panturrilha sendo, muitas vezes, a causa de tendinite no tendão do calcâneo (Aquiles), fascite plantar e esporões de calcâneo. E mais, a manutenção da articulação do tornozelo em flexão plantar, que é uma posição mais instável, aumenta a chance de entorses.

 

Os problemas não param por aí, os joelhos sofrem sobrecarga por que ficam mais tempo flexionados e também porque, para ficar no salto, é preciso contrair o quadríceps o tempo todo e essas duas atitudes levam a um maior atrito entre a patela e o fêmur facilitando o desgaste das cartilagens e o aparecimento da condromalacia. O salto também empina o bumbum (não é à toa que é adorado pela mulherada) e sobrecarrega os músculos lombares, gerando dor e contraturas e é péssimo para quem tem problemas prévios como artrose e hérnia de disco.

 

O salto muitas vezes é indispensável, mas deve ser usado com moderação. Aqui vão algumas dicas para que você se mantenha linda e com o corpo saudável:

 

- Até 3 cm de altura, o salto distribui o peso pelo pé e é indicado inclusive para pessoas com fascite plantar, por exemplo. Se 3 cm é pouco para você, prefira os de até 5cm que não são tão prejudiciais.

 

- Se você usa saltos para trabalhar, pode fazer pausas ao longo do dia, levando outro sapato para usar no escritório. Se o uso no escritório for fundamental, vá para o trabalho com outro sapato. Se trabalha em pé, sente de vez em quando. Permita-se um tempo para tirar os sapatos e mexer os pés ativando a circulação e dando mobilidade as panturrilhas. Se for usar a noite procure usar um sapato mais rasteiro durante o dia. Se o uso for de dia, fique descalça a noite quando estiver em casa.

 

- Alternar sapatos também é uma boa opção. Use tamanhos e modelos diferentes a cada dia, alternando saltos baixos e altos.

 

- Atenção na hora da compra, não tente usar sapatos menores que seus pés (eles não vão alargar), procure seu número e prove sempre os dois, pois, normalmente, um pé é maior que o outro. Se não se sentir segura com o tipo ou tamanho do salto descarte o sapato.

 

- Quanto mais nova a pessoa, maiores são os problemas. Esse tipo de sapato é proibido para meninas em fase de crescimento, porque o corpo ainda não está formado e fica mais suscetível a alterações posturais, podendo acarretar sérios problemas estruturais.

 

- Uma forma de se proteger e compensar o corpo do estresse causado pelo salto, é praticar atividade física. Dê preferência aos alongamentos que ajudam a diminuir os danos e dão mobilidade a musculatura sobrecarregada.

 

Ficar bonita é bom, mas se manter saudável é ainda melhor!

 

                                                     Hellen e Monique :)

Tags:

Please reload

Workshops Espaço Fluir

Clique na imagem para saber mais

O que você procura?

Please reload

DÚVIDAS E SUGESTÕES, AQUI É O LUGAR!

UM BLOG POR ESPAÇO FLUIR

© 2014 POR ESPAÇO FLUIR.