Ponte com Círculo de Pernas com a Overball na Parede

 

A Overball é definitivamente encantadora. Com ela somos capazes de trabalhar força, mobilidade e estabilidade. Ela pode até fazer as vezes da Barra Torre, como nesta variação da ponte.

O exercício proposto tem como objetivo fortalecer o Power House, glúteos, isquiotibiais e trabalhar a mobilidade da coluna.

 

Posição Inicial: Deitado em decúbito dorsal com os joelhos estendidos, pés na Overball, que está apoiada na parede. Os braços permanecem esticados ao lado do corpo.

 

Movimento: Fazer o movimento da ponte elevando a bacia. Mantê-la no alto, flexionar o quadril puxando a perna na direçåo do corpo, desenhar um círculo e retomar o apoio no acessório, repetir o movimento com a outra perna e entåo retornar a pélvis para o solo desenrolando a coluna.

 

Pontos Importantes:

  • Trabalhar a mobilização da coluna, o que significa uma intensa ativação do Power House. O movimento acontece vértebra por vértebra e não em bloco e sempre na intenção de afundar cada vez mais o abdômen.

  • Pensar em oposição: na subida é como se o glúteo fizesse o máximo de esforço para empurrar a bacia para cima enquanto o abdômen faz o máximo de força para a coluna ficar no chão. Na descida ocorre o oposto: o abdômen quer descer e o glúteo quer manter a bacia no alto.

  • O pé pressiona o tempo todo a bola contra a parede, concentrando ainda mais o trabalho do glúteo. Ele é a musculatura alvo do exercício. Deve-se pensar em empurrar a pélvis para cima e para frente abrindo os flexores de quadril na ída do movimento e frear e controlar a descida na volta.

  • Ativar a Base Pilates ajuda a alinhar e a estabilizar a pélvis. É preciso tomar bastante cuidado para que a bacia não acompanhe o movimento de círculo da perna.

  • A subida ocorre até o ponto em que não haja anteversão pélvica, hiperlordose lombar e nem sobrecarga na região e que o peso fique depositado sobre as escápulas e não sobre a cervical.

  • Os braços ficam pesados no solo e escorregando para longe, como se as pontas dos dedos fossem alcançar a parede. A dobra de trás da axila quer aproximar-se do solo. Tudo isso contribui para uma melhor organização da cintura pélvica e melhor apoio do corpo.

  • Evoluir com responsabilidade. O praticante deve dominar esse tipo de movimento sem a base instável para depois fazer uso dela. Antes de trabalhar exercícios unilaterais, o aluno deve estar craque nos bilaterais, como esta variação mostrada abaixo:

 

 

Cuidado quando for colocar alguém contra a parede, especialmente se esse alguém for a Overball. As consequências podem ser literalmente estremecedoras!

 

 

Veja mais:

 

Tower 

 

Ponte Unilateral com a Bola na Parede

 

 

 

 

Please reload

Workshops Espaço Fluir

Clique na imagem para saber mais

O que você procura?

Please reload

DÚVIDAS E SUGESTÕES, AQUI É O LUGAR!

UM BLOG POR ESPAÇO FLUIR

© 2014 POR ESPAÇO FLUIR.